segunda-feira, 5 de abril de 2010

Maquete Nova

Um dos meus (muitos) hobbies é o ferreomodelismo, que pode ser praticado de diversas formas, como na modificação e construção de modelos, ou a construção de maquetes, as duas ramificações que eu pratico em especial. No Brasil tem um fabricante, a Frateschi, que foi como eu conheci o hobby em 82 e entrei de cabeça em 87 (sim, faz tempo).





Não é minha primeira maquete, mas a quarta (ou terceira, se desconsiderar um diorama turbinado com operações como maquete), sendo a segunda em escala HO (1:87, a mais comum). Como eu queria colocar a criançada mais perto do modelismo e, quem sabe,  ganhar um colega praticante a longo prazo, resolvi fazer uma maquete pequena (1,6x1,2m).



A escolha do tamanho é mais pela possibilidade de acabar a empreitada em pouco tempo (2 a 3 meses) do que por falta de espaço, já que o quarto em que essa se encontra é pra construir uma maquete com dois, ou três níveis, e mais de 40 metros de linha linear. Essa levará anos, então, melhor algo rápido para satisfazer a criançada.



Chamei a dita de Companhia Ferroviária Salto do Lontra - CFSL, em homenagem à cidade no sudoeste do estado do Paraná (sim, a cidade existe, tem até Rotary Club), representando uma linha concessionada à ALL, concessionária das linhas da antiga SR-5 da RFFSA. Na Salto do Lontra original não passa trem, mas é esse tipo de licença poética que torna o ferreomodelismo interessante, já que o objetivo não é unicamente modelar a realidade de acordo com o que a gente pode observar no mundo real, mas sim criar realidades hipotéticas que sejam razoáveis dentro do que se espera no contexto de uma cidade de beira de linha.



Até agora foi a parte fácil. Apesar do planejamento e construção do tablado demandarem tempo, colocar os trilhos vai rápido. O que demora mesmo é construir o cenário, a próxima etapa. Nessa maquete  vai ser bem variado, com um divisor de cenário para que a maquete possa ser vista como duas localidades distintas, sem que uma atrapalhe a visualização da outra ( o que não é pouco para uma maquete tão pequena).

A medida que a coisa for evoluindo eu vou colocando mais fotos. Enquanto isso, me divirto com o Angelo e a Bia, que por mais que não entendam bem o hobby, ficam fascinados com um trem miniatura que a gente pode controlar e levar vagões de um lado a outro :).

3 comentários:

BCS disse...

Tá ficando chique PV, as gaiolas curtas ficaram show.

Não sei da criançada ai, mas o meu curte mesmo vagões abertos e ficar empurrando o trem com a mão, sem falar que geralmente para a criançada não pode faltar um tunel.

PV disse...

Lembra dessas gaiolas lá no clube? Então, são as mesmas. Esse era o trem do "Rei do Gado", caso você tenha esquecido :).

Ah, túnel é de lei, já tem encomenda para essa. Como eu vou separar o cenário dos dois lados da maquete, vai ter três túneis, dois na linha principal ligando as duas metades, além de um no ramal da mina/pedreira quando ela vai para o "outro lado". O Angelo curte vagões "diferentes", esses dias eu mostrei o fechado da rede com o pingüim do lado. Não preciso dizer que foi um sucesso. Vagão da Serra Verde nem se fala.

Christian Steagall-Condé disse...

Caro Paulo, sobre sua solicitação de uso do meu projeto de traçado em sua palestra, agradeço a sua ética.

Pode baixar o projeto solicitado e explaná-lo ao seu modo, mantendo suas caracteristicas visuais e incorporando os creditos (ALLFe), incluindo, se for o caso, o URL da fonte original.

Orientação de tráfego, em termos de internet, sempre é bom.

Grato pelo interesse, o portal da ALLFe já passou dos 85.000 hits de acesso e quero prosseguir com a qualidade e originalidade de seu conteúdo.

Parabéns pela sua Maquete da C.F.S.L., está no trilho certo!