quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Aleatoriedades

Ajeitando as estantes novas aqui de casa, acabei revendo a minha coleção de mangás, que tem algumas bizarrices notáveis:

  1. Cicatrice of the Sirius - um dos mangás mais sem pé nem cabeça que eu já vi. Começa de um jeito e termina de outro.
  2. FLCL - O final do mangá, bem diferente do anime, é tão abrupto, mas tão abrupto, que eu fiquei esperando uns dois meses a continuação no próximo volume.
  3. Mangás antigos da Viz e Dark Horse - quer ver algo do cão? Tente achar a ordem de lançamento dos mangás do Shadow Lady, Maison Ikkoku e outros, que não tem número, nem na lombada ou na capa. Santo ISBN ajuda nessas horas.
  4. Um volume do Conde Cain em francês é dividido em dois tomos. Os dois tem o mesmo número, mas um é a parte I e outro a parte II.
  5. Misteriosamente tenho duas cópias do volume 10 do Love Hina da Tokyo Pop. O pior é que li ambas, vai entender.
  6. Tem mangá do Koko wa Greenwood. Nem lembrava.

5 comentários:

Lancaster disse...

"Misteriosamente tenho duas cópias do volume 10 do Love Hina da Tokyo Pop. O pior é que li ambas, vai entender."

É mais simples do que você pensa: É que não faz diferença. Uma história doméstica: meu irmão colecionava love hina e se deu conta da ausência de um numero. Procuramos por todos os cantos e desistimos. Tive que ir lá comprar de novo.
E sabe o que descobri? Jamais compramos aquele numero, o erro havia sido nosso. Simplesmente não fazia diferença, não sentimos sua ausência quando compramos o numero seguinte. Completamos o buraco, lógico, mas... ¬¬;

Anônimo disse...

Ah, koko wa greenwood nem é tão mau assim... só não é tão bom também :P
Respondi com muito atraso è sua lista de aleatoriedades, tá lá no blog :P

beijão,
Ana paula =^.^=

Piovezan disse...

Estamos em época de desencaixotar mangás? Eu estou lendo o Love Hina (Naruuu *_*). No formatinho da JBC mal cabem os diálogos, qual é o formato desses da Tokyo Pop? Aproveitei para folhear aquela enrolação do Bastard!, e que descanse em paz de vez, porque depois de anos o autor voltou mais enrolado ainda...

PV disse...

Não Pio, aqui estamos só um pouco atrasados em desfazer as caixas da mudança do apartamento :P.

PV disse...

Ah, já que você perguntou, o tamanho do mangá da Tokyopop é praticamente o mesmo que o da JBC. A diferença fica por conta da qualidade do papel, bem superior, que faz com que o texto seja bem mais legível.